Histórico e Perfil Corporativo

Perfil Corporativo

Fundada em 1972, a Companhia investe no Brasil em negócios voltados a atender ao público de alta renda, com atividades em desenvolvimento e administração de projetos únicos e inovadores nos setores de (i) Renda Recorrente; (ii) Hotéis e Restaurantes; (iii) Incorporação; e (iv) Aeroporto Executivo, em fase pré-operacional.

O processo decisório da Administração está baseado no equilíbrio entre (i) fortalecimento do resultado operacional; (ii) a racionalização da estrutura e alocação de capital; e (iii) ações que visam reduzir o custo de capital próprio e de terceiros (spreads). O conjunto dessas ações forma o tripé do processo de criação de valor que pretendemos entregar a nossos acionistas e demais stakeholders.

A Companhia mantém ativos a desenvolver, com potencial de criação de valor, os quais serão implementados na medida em que as condições de mercado e estrutura de capital forem adequadas.

A Administração da JHSF investiu, e seguirá investindo, em mecanismos e procedimentos internos de integridade, auditoria e incentivo à denúncia de irregularidades e a aplicação efetiva de códigos de ética e de conduta.

  1. Shoppings

Operação que compreende (i) quatro shoppings centers - Cidade Jardim ("SCJ"), Bela Vista ("SBV"), Ponta Negra ("SPN") e Catarina Fashion Outlet ("CFO"); (ii) serviços para shoppings, voltados à administração, estacionamentos e fornecimento de energia e telecomunicações; e (iii) marcas de varejo de alto luxo.

  1. Hotéis e Restaurantes

Operação de hotéis e restaurantes administrados sob a bandeira "Fasano". São 4 hotéis em operação e 5 já contratados (Angra dos Reis, Belo Horizonte, Salvador, Trancoso e Miami), além de 14 restaurantes (São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília). O objetivo desta divisão é rentabilizar e crescer as operações de hotéis e restaurantes de alto luxo com a marca ‘Fasano’, no Brasil e exterior; e agregar valor aos empreendimentos da Companhia, a partir de plataforma asset light, ou seja, sem ativos imobiliários.

  1. Incorporações

Essa divisão de negócios está focada na venda do estoque existente e administração da carteira de recebíveis imobiliários. Atualmente a Companhia estuda a possibilidade de retomar seletivamente projetos a serem desenvolvidos no landbank existente nas imediações do Parque Cidade Jardim e Residência Cidade Jardim, próximos ao SCJ e voltados para clientes de alta renda.

  1. São Paulo Catarina Aeroporto Executivo (em desenvolvimento)

Atualmente em fase pré-operacional, o projeto São Paulo Catarina Aeroporto Executivo terá pista de aproximadamente 2.400 metros. O empreendimento possui investimento inicial estimado em R$ 300 milhões, sendo o saldo de CAPEX a realizar, na data deste documento, estimado em R$ 55 milhões, cujas fontes são: (i) capital de terceiros - financiamento com o BNDES; e (ii) recursos próprios da Companhia.

Histórico

Setores de Atuação

Shopping Centers

Segundo o estudo realizado pela Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE), o ano de 2016 encerrou com um total de 558 shopping centers, sendo que 53,8% estão localizados na região Sudeste. Para o ano de 2017 está prevista a inauguração de 30 unidades.

O índice de Visitas em Shopping Centers de 2016, quando comparado a 2015, teve queda de 3,4%. Apesar da redução do Índice de Visitas, o faturamento ao final do período de 2016 foi de R$ 157,9 bilhões, 4,2% superior em relação ao ano de 2015. Além disso, foram gerados aproximadamente 26.302 novos postos de trabalho.

Hotéis e Restaurantes

Os resultados do setor hoteleiro do ano de 2016 ainda demonstram cenário de quedas, se comparado ao desempenho registrado no ano de 2015. Considerando 235 hotéis de redes associadas ao FOHB em todo o Brasil, observou-se quedas na Taxa de Ocupação (-6,3%) e no RevPAR (-3,7%), e aumento na Diária Média (+2,7%).

Nas cinco regiões analisadas, tanto a taxa de ocupação quanto o RevPAR foram negativos em todas, sendo as quedas mais expressivas nas regiões Sudeste e Centro Oeste . Em relação à diária média, apenas as regiões Sudeste, Sul e Nordeste apresentaram resultados positivos, as demais regiões tiveram quedas de cerca de 2%.

Os empreendimentos classificados como midscale apresentaram oscilação negativa nos três indicadores. Já os classificados como upscale demonstraram alta em diária média (11%) e RevPAR (9,7%), a taxa de ocupação teve queda de -1,2%. Em relação à categoria econômica, houve aumento apenas no indicador de diária média (2,2%), apresentando decréscimos na taxa de ocupação (-7,1%) e no RevPAR (-5%).

O Setor Hoteleiro de Alto Padrão

A tabela abaixo apresenta a diária média e a taxa de ocupação das quatro categorias de hotéis em 2016:

Ano de 2016 Upscale Midscale Econômico
Diária Média R$ 512,42 R$ 259,23 R$ 178,55
Taxa de Ocupação 58,92% 53,61% 58,37%

Fonte: InFOHB | Dezembro 2016 - Fórum dos Operadores Hoteleiros do Brasil

Hotéis focados no público upscale, como o Hotel Fasano, apresentaram Diárias Médias e Taxas de Ocupação acima da média da indústria de hotéis de alto padrão, como demonstrado na tabela abaixo:

Ano de 2016 Taxa de Ocupação Receita por Apartamento Disponível (REVPAR)
Operações Fasano Consolidadas 64,3% R$ 1.351,00

Fonte: JHSF

Incorporação

Em dezembro de 2016, foram computadas 16,2 mil vendas de novas unidades residenciais na cidade de São Paulo - quantidade -20% inferior à de 2015, quando 20,1 mil unidades foram comercializadas. A média de vendas de imóveis residenciais em 2016 foi de 28,4 mil unidades, já a média de lançamentos correspondeu a 30,8 mil unidades.

Última Atualização em 19 de Maio de 2017

Voltar Topo